So how can anybody say, They know how I feel
publicado por Ricardo às 10:58 | link do post
publicado por Ricardo às 14:30 | link do post
publicado por Ricardo às 13:40 | link do post
publicado por Ricardo às 10:37 | link do post
tags:

Há um passagem na letra de “Absolute Beginners” do David Bowie que diz “As long as we're together…The rest can go to hell” que bem se podia aplicar como subtítulo a este filme (traduzido em francês obviamente).

 

Este  “Le Premier jour du reste de ta vie” foi daqueles filmes que fui adiando a sua visualização. Nunca entendi bem porquê e hoje ainda menos consigo entender porque o fiz depois de o ver , já que mal consegui desviar os olhos do ecrã durante a sua duração. Realizado por Rémi Bezançon, este filme entrou definitivamente no meu “top 10”.

 

A narrativa é simples. O período de 12 anos na vida de uma família francesa, focando o “primeiro dia do resto da tua vida” de cada uma das cinco personagens principais: Robert  e Marie-Jeanne Duval (sim… só com um “L”) e os três filhos Albert, Raphaël e Fleur.


Uma ideia bastante simples mas que soube ser desenvolvida de uma forma apaixonante que nos agarra a toda a história do início ao fim. Com pormenores que podiam muito bem fazer parte da nossa vida e não contem de todo com uma versão “hollywoodesca” do sentido da vida.. É um filme real, cru, fabuloso e duro (e com excelente banda sonora). Tudo embrulhado em excelentes interpretações e com momentos que nos arrancam uma lágrima com facilidade.

 

Podem ver o trailer aqui.

publicado por Ricardo às 11:52 | link do post
tags:
publicado por Ricardo às 15:18 | link do post

publicado por Ricardo às 13:00 | link do post

Um filme do Tarantino é um filme do Tarantino. O estilo está lá. E tirando aquele devaneio até ao momento inexplicável do “Death Proof” , todos os restantes têm selo de qualidade. No entanto para Tarantino há um desafio que ainda não foi superado: fazer algo melhor que “Pulp Fiction”.

 

Este “Django Unchained” é bom, é Tarantino, tem excelentes actores (Jamie Foxx, Leonardo Di Caprio, Samuel L. Jackson, Christoph Waltz e … Don Johnson), dá um bónus com o “cameo” do Django “original” (Franco Nero) e até à chegada  do filme  a Leonardo di Caprio e a Candie Land existe uma ameaça que poderia estar aqui um rival para Pulp Fiction…e mais uma vez devido à interpretação da estrela de “Inglourious Basterds”: Christoph Waltz.

 

No entanto o filme depois entra em velocidade de cruzeiro e assiste-se ao habitual espectáculo de sangue gratuito e menos humor negro. E talvez seja aí que o filme perde um pouco do seu interesse. É um pouco mais do mesmo já anteriormente visto em Tarantino. Substituam Candie Land pelo Teatro Francês em “Inglorious Basterds” e pronto…

 

Não tenho visto grande atenção dedicada à prestação de Samuel L. Jackson neste filme. Não é o seu melhor “Tarantino” (sim…Pulp Fiction) mas está muito bem.

 

Para os fans de Tarantino é mais uma vez um filme obrigatório. Para quem não é fan… 

publicado por Ricardo às 11:24 | link do post
tags:

 

Confesso que de todos os títulos que imergiram nas nomeações dos Oscar’s para 2013, este “Argo” era o filme que menos interesse me suscitava.

 

Parecia-me o típico filme a glorificar uma qualquer intervenção americana no Médio Oriente e pouco mais do que isso. Sim, existe essa “glorificação” (e o final à Hollywood) mas existe muito mais do que isso. Existe uma boa interpretação de Ben Affleck, uma excelente realização de… Affleck e momentos deliciosos com o John Goodman e (sobretudo) o Alan Arkin, que fazem uma dupla de produtores de Hollywood com muito humor e estilo sarcástico.

 

Depois a história em si. Um falso filme para retirar uns refugiados americanos de uma Teerão a ferro e fogo. Parece coisa de filme, mas foi real. E isso desperta sempre a minha curiosidade. Talvez por as minhas expectativas serem baixas gostei muito deste “Argo”, mas a verdade é que é mesmo um bom filme, diverte, educa e transporta-nos de forma eficaz para um período da história não muito longe mas muito diferente. As imagens reais que são colocadas aqui e ali durante o filme (e no final) ainda embelezam mais a realização.

 

Muito bom filme. 

 

Ah...e "Argo fuck yourself"

publicado por Ricardo às 11:01 | link do post
tags:
mais sobre mim
Playlist
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
22
23
24
25
26
27
pesquisar neste blog
 
Posts mais comentados
comentários recentes
Em primeiro lugar muito obrigado por ter perdido o...
Muitas palavras pouco conteúdo.A mesma admiração q...
Muito bom o post amei vou sempre visitar seu websi...
Concordo plenamente, esse Daniel Oliveira pode ter...
Ola, mantenho um blog chamado "Tralhas Varias" ded...
Ah I see what you mean. Hei-de ver :)
Este filme tem tudo para funcionar...a ver vamos. ...
Hum...pelo menos a maior parte talvez seja mesmo! ...
tão verdade!gostei :)
Fiquei aguçado...
subscrever feeds
SAPO Blogs